Tipo:
Finalidade:
Cidade:
Código:  
Boa Noite, hoje é dia 21 de Agosto de 2019 - ATIBAIA / SP
(11) 4412-2403, 99918-1751 vivo ou 95462-8330 tim
  Casa
  Terreno
  Apartamento
  Casa em Condomínio
  Chácara
  Terreno em Condomínio
 
Notícias
 Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
9116 Repita ao lado:
redesp_facebook.png
Notícias
 
Decisão da Justiça abre precedente favorável ao corretor de imóveis

O Superior Tribunal de Justiça sempre se mostrou contrário ao pagamento de comissão a corretores de imóveis, nas situações onde o negócio jurídico não tivesse efetivamente sido celebrado. Não são raras as decisões negando ao profissional o direito a seus honorários, em casos, por exemplo, de desistência de uma das partes sob qualquer razão. Os julgamentos se baseavam no antigo Código Civil de 1916, que não tratava especificamente dos contratos de corretagem. 

Felizmente, a Justiça está enxergando a questão com outros olhos, e vem garantindo aos profissionais a justa remuneração pelo seu trabalho, com base, principalmente, no que diz o novo Código Civil, de 2002. O artigo 725 da norma estabelece que ``a remuneração é devida ao corretor uma vez que tenha conseguido o resultado previsto no contrato de mediação, ou ainda que este não se efetive em virtude do arrependimento das partes``. 
Assim, os ministros do STJ passaram a tecer considerações especiais sobre o que pode ou não ser considerado como ``resultado útil``. Tal fato pode ser percebido em uma recente decisão da ministra Nancy Andrighi, da 3ª Turma, favorável a um profissional do Rio de Janeiro, responsável pela intermediação de um terreno no valor de R$ 7,07 milhões. 
Na situação analisada, após ter pago um sinal de R$ 400 mil, o comprador enviou um distrato ao vendedor, e o corretor optou, então, por cobrar na Justiça sua comissão - no valor de R$ 100 mil. A ministra reconheceu, no caso, que a atuação do corretor produziu resultado útil à medida que ``a mediação deve corresponder somente aos limites conclusivos do negócio, mediante acordo de vontade entre as partes, independentemente da execução do próprio negócio``. 
A justificativa da ministra Nancy é que a compra e venda de uma propriedade é um ``ato complexo``, que passa por várias etapas, que devem ser analisadas de maneira detalhada, para que se consiga detectar se o trabalho do corretor pode, efetivamente, produzir um resultado útil. 
Na opinião do presidente do CRECISP, José Augusto Viana Neto, o parecer da ministra abre um importante precedente e é de grande valia para todos os que atuam nesse segmento. ``A Justiça está compreendendo e valorizando nossa atividade, percebendo no corretor de imóveis uma figura essencial na negociação.``

 
Total de notícias: 10
03
01
PEC garante direito de posse para quem ocupa imóvel há dez anos
[+] saiba mais
27
12
Tire as dúvidas ao comprar imóveis na planta
[+] saiba mais
20
12
OPORTUNIDADE PARA CORRETORES
[+] saiba mais
29
11
Economistas suspeitam de uma bolha imobiliária no Brasil
[+] saiba mais
24
10
O INSS NA CONSTRUÇÃO CIVIL E OS PROCEDIMENTOS LEGAIS E PRÁTICOS PARA REGULARIZAÇÃO DE OBRA
[+] saiba mais
16
10
5 DICAS PARA LIDAR COM VIZINHOS BARULHENTOS
[+] saiba mais
14
10
Vencedor do Nobel de Economia fez alerta sobre bolha imobiliária no Brasil
[+] saiba mais
16
09
Quinta da Baroneza conquista o Prêmio Master Imobiliário 2013
[+] saiba mais
02
08
Obras Rodoanel trecho norte
[+] saiba mais
04
03
Como declarar a posse e a venda de imóveis no IR
[+] saiba mais
 Listando de 1 até 10 no total de 10 notícias
 
 
icone-whatsapp 1
 
Imobiliária | Pesquisa Completa | Vender Meu Imóvel | Notícias | Fale Conosco
(11) 4412-2403, 99918-1751 vivo ou 95462-8330 tim
  IMOBILIÁRIA PÉ DA SERRA DE ATIBAIA
Rua Clóvis soares, 617 - Alvinópolis - Atibaia/SP
Creci: 117.737
Creci Jurídico: J-23936 

 

Telefone: (11) 4412-2403 / 99918-1751 vivo / 95462-8330 tim

Site para Imobiliarias
Site para Imobiliarias